Portal IMACO

Agência de Notícias IMACO

Reunião pedagógica

O que é Inteligência Emocional

A educação brasileira está baseada em princípios lineares e os currículos e seus conteúdos assentam-se nos processos intelectuais e cognitivos, deixando de lado os fatores emocionais. Mas, existem atualmente concepções que valorizam os aspectos emocionais da inteligência. O psicólogo Daniel Goleman, PhD com seu livro "Inteligência Emocional", por exemplo, retoma uma nova discussão sobre o assunto.


Ele traz o conceito da inteligência emocional como maior responsável pelo sucesso ou insucesso das pessoas. A maioria das situações de trabalho é envolvida por relacionamentos entre as pessoas. Desta forma pessoas com qualidades de relacionamento humano, como afabilidade, compreensão e gentileza têm mais chances de obter o sucesso.

Goleman procura demonstrar que não só a razão influencia nos nossos atos, mas, a emoção também é responsável por nossas respostas e tem grande poder sobre as pessoas.

Algumas habilidades emocionais são consideradas importantes para que uma pessoa alcance seus objetivos seja feliz e alcance sucesso na vida. Dentre elas são citadas o controle do temperamento, adaptabilidade, persistência, amizade, respeito, amabilidade e empatia.


Goleman apresenta os seguintes níveis de Inteligência Emocional:

  • Auto-conhecimento emocional - Autoconsciência: conhecimento que o ser humano tem de si próprio, de seus sentimentos ou intuição. Esta competência é fundamental para que o homem tenha confiança em si (autoconfiança) e conheça seus pontos fortes e fracos;
  • Controle emocional - Capacidade de gerenciar os sentimentos: é importante saber lidar com os sentimentos. A pessoa que sabe controlar seus próprios sentimentos se dá bem em qualquer lugar que esteja ou em qualquer ato que realize.
  • Auto- motivação - Ter vontade de realizar, otimismo: Pôr as emoções a serviço de uma meta. A pessoa otimista consegue realizar tudo que planeja pois tem consciência que todos os problemas são contornáveis e resolvíveis.
  • Reconhecer emoções nos outros - Empatia: saber se colocar no lugar do outro. Perceber o outro. Captar o sentimento do outro. A calma é fundamental para que isso aconteça. Os problemas devem ser resolvidos através de conversas claras. As explosões devem ser evitadas para que não prejudique o relacionamento com os outros.
  • Habilidade em relacionamentos inter-pessoais - Aptidão social: a capacidade que a pessoa deve ter para lidar com emoções do grupo. A arte dos relacionamentos deve-se, em grande parte o saber lidar com as emoções do outro. Saber trabalhar em equipe é fundamental no mundo atual.


Os sentimentos mais fortes do homem são a tristeza, a alegria e a raiva.

É fundamental saber lidar com eles. As pessoas que sabem controlar suas emoções são aquelas que obtém mais sucesso na vida, em qualquer tipo de medição: um imprevisto, uma entrevista de emprego, provas de vestibular, o fim de um relacionamento, etc.

A Inteligência Emocional na Educação

Em relação à educação, Goleman, e autores influenciados por ele, fala da importância de "educar" as emoções e fazer com que os alunos também se tornem aptos a lidar com frustrações, negociar com outros, reconhecer as próprias angústias e medos, potenciais e limites, etc.

Para que os alunos desenvolvam sua inteligência emocional, uma das premissas básicas é a necessidade de que o professor também desenvolva sua própria inteligência emocional, pois, pode-se dizer que aquilo que o professor ensina em sua prática docente está embebido por sua própria personalidade.

Desse modo, a inteligência emocional do professor é uma das variáveis que melhor explica a criação de uma aula emocionalmente inteligente. E é o PSICÓLOGO EDUCACIONAL que tem como foco o desenvolvimento da Inteligência Emocional que vai promover essa formação específica com os professores e realizar atividades temáticas dirigidas aos alunos.
O psicólogo educacional também deve conhecer os alunos em seus aspectos sociais, cognitivos, afetivos e emocionais, isto implica uma atitude de permanente investigação, por meio de observações, diálogos com as crianças e suas famílias, avaliação contínua dos conhecimentos adquiridos, sondagem dos interesses delas e atenção às necessidades que elas expressam.

Perceber o que o aluno sente, sem que ele o diga, constitui a essência da empatia, uma das características fundamentais da inteligência emocional. A criança e o adolescente, dificilmente, nos dizem em palavras aquilo que sentem, mas revelam seus sentimentos por seu tom de voz, pela expressão facial ou por outras maneiras não verbais que o psicólogo está pronto para identificar.

A partir do momento em que o psicólogo através de observações reconhece as emoções do aluno (medo, raiva, ciúme, alegria, tristeza, vergonha), cria uma enorme chance de aumentar a intimidade, transmitir experiência e compartilhar dificuldades.

Benefícios da Inteligência Emocional na Escola

O aluno passa a se sentir valorizado, legitimado em seus sentimentos (mesmo que negativos) e, conseqüentemente, fortalece sua auto-estima. Ele descobre novas estratégias para lidar com os conflitos, diminui a agressividade em suas relações com o outro, aprende a conviver de uma maneira confortável com os sentimentos negativos, enfim, ele transforma um sentimento que o assusta em algo que faz parte da vida, não censurando a si mesmo por seus sentimentos, mas sim, julgando a decisão do que fazer com estes mesmos sentimentos.

A escola deveria reservar tempo e espaço em seus programas para com a orientação de um psicólogo educacional iniciar as crianças em projetos de cooperação. A participação de professores e alunos em projetos comuns pode dar origem à aprendizagem de métodos de resolução de conflitos e construir uma referência para a vida futura dos alunos, enriquecendo a relação professor – aluno.

A influência dessa teoria sobre a educação é altamente positiva, pois chama a atenção para o fato de que as escolas não devem preocupar-se apenas com a inteligência de cada aluno, mas também com o desenvolvimento de sua capacidade de se relacionar bem com os outros e consigo mesmo.

Como se Promove a Inteligência Emocional

Os pais não precisam se sentir desorientados na tarefa de preparar seus filhos para os problemas e dificuldades inevitáveis do crescimento e da maturidade emocional.

O IEE – Inteligência Emocional na Escola dá ênfase nas diversas maneiras de ensinar às crianças estas habilidades, através de jogos divertidos, histórias temáticas, dinâmicas de grupo e atividades desafiadoras que permitem às crianças, resolver conflitos com respostas criativas e adequadas, cooperar com os outros e aumentar sua auto-estima e autoconfiança e muitas outras habilidades sociais proporcionando uma educação ampla onde as crianças se tornam mais saudáveis em termos emocionais e mais competentes para adquirirem sucesso e felicidade durante a infância e depois na sua vida adulta.

Psicóloga Tabata Caffé

http://psicologatabata.blogspot.com.br/2011/02/conheca-o-iee-inteligencia-emocional-na.html

 

Mais sobre a Reunião Pedagógica

 

Fotos da Semana Pedagógica      

IMACO na rede

Conecte-se ao IMACO